Como tudo começou

O que inspirou o blog e a partilha de ideias, truques e dicas.

Um quintal sem vida, sem flores nem cores com muitos vasos e paletes de madeira espalhados: Assim era as traseiras da casa.
Até certo dia aproveitei todos os materiais que tinha ripas de madeira, vernizes e vasos e coloquei mãos à obra.
Com as paletes de madeira fiz duas floreiras e passei 2 camadas de verniz indicado para madeiras de exterior para que dure mais tempo.
Encostei-as à parede para que as plantas tenham um suporte quando crescerem.
Revesti o interior com manta geotêxtil (encontra-se em qualquer loja de jardim) para suportar as plantas e não escorrer o subtrato a cada rega.
Enchi o fundo com areia misturando depois com o subtrato adubado.

Por fim coloquei as plantas consoante o seu desenvolvimento: as trepadeiras encostadas à parede e as plantas de crescimento vertical na outra ponta.
Como fiz todo este processo no verão optei por sardinheira (Pelargonium peltatum), Petunia, Bougainvillea, Aspargo pendente, dipladenia (Mondvilla ),  maracujá (Passiflora) e brincos de princesa (Fuchsia).

Como as plantas ainda eram bem pequenas coloquei nas traseiras das floreiras hastes de Bambu que servem de suporte para as plantas e para evitar que os gatos dos vizinhos estragassem as plantas coloquei mantas plásticas nas zonas entre médias. As plantas que tristemente existiam no quintal suculentas e Agapanthus dei-lhes uma vida nova: mudei-as de vaso, juntei algumas suculentas e recuperei uma Yucca. 

Fazer florir um deserto é fruto da imaginação em quer dar vida a um espaço triste e colocar em prática alguns conhecimentos sobre flores. Dai o blog com sugestões que já tenho dado por Facebook ou Instagram. Espero que acompanhem neste novo projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *