Podemos podar ou arrancar azevinhos?

Uma das espécies que mais nos recorda o natal é o azevinho seja num arranjo floral ou num jardim coberto de neve. Mas sendo esta uma espécie da flora espontânea autóctones do território nacional protegida há aspetos a que ter em conta:

Existem 3 parâmetros a ter em mente quando o tema é poda ou o arranque de azevinho:

“1º: Segundo o Decreto-Lei n.º 423/89, de 4 de Dezembro é proibido, em todo o território do continente, o arranque, o corte total ou parcial, o transporte e a venda de azevinho espontâneo, Ilex aquifolium L.. Ou seja todos os exemplares desta espécie que nascem espontaneamente na natureza nas serras e em terrenos baldios é proibido qualquer alteração ao crescimento/desenvolvimento vegetativo.

2º : Segundo o Decreto-Lei n.º 237/2000, de 26 de setembro, só podem produzir, comercializar e transportar material de propagação do Ilex aquifolium L. pessoas singulares ou coletivas que tenham a licença junto das Direções Regionais de Agricultura e Pescas onde visa Regime Jurídico de produção e de comercialização de materiais de propagação de plantas ornamentais.
Sendo o azevinho uma espécie da nossa floresta autóctone e para promover a re-florestação reger-se pelo disposto no Decreto-Lei nº 205/2003, de 12 de setembro o Regime Jurídico da produção e comercialização de Materiais Florestais de Reprodução (MFR) o registo junto do ICNF (Instituto Da Conservação da Natureza e das Florestas) a promoção desta atividade. “

Ou seja quando for comprar um ramo de azevinho certifique-se se este cumpre estas normas legais: uma dica compre em sempre viveiros, hortos e floristas autorizados. Desta forma sabermos que o ciclo vegetativo desta espécie autóctone não esta de novo ameaçado com a venda de azevinho provindo da floresta.

3º: Mas eu tenho um azevinho no jardim?
Posso ou não podar?

Sendo o seu jardim um local privado sim pode, mas com moderação já que o ponto de interesse dos ramos de azevinho são as bagas vermelhas. Estas em contato com o solo germinam dão origem a outro azevinho e desta forma estamos a perpetuar esta espécie autóctone.

Por isso, no seu jardim deixe o azevinho crescer livremente durante mais de 10 anos para que o tronco engrosse e as raízes fiquem bem ancoradas. Faça uma poda de crescimento a partir de fevereiro/março retirando poucos lançamentos. E lembre-se de adubar esta espécie especialmente na época de floração para que em dezembro consiga retirar alguns ramos com bagas vermelhas para decorar a porta da sua entrada.

Adaptado de: http://www2.icnf.pt/portal/icnf/faqs/protecao-do-sb-az-azevinho-espontaneo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *