Bolbos de inverno: narcisos ao sol

Nascem tímidos em pleno frio do inverno num jardim ou num canteiro. Formam tapetes de cores variadas numa estação onde as árvores despidas descansam.

Assim são os bolbos.

Pequenas “cebolas” plantadas em qualquer altura do ano sendo a mais indicada no final do verão início de outono, para finalmente encantar-nos no inverno anunciando a proximidade da primavera.
Mas cada bolbo tem o seu lugar: aos que florescem livremente na natureza como as campânulas-azuis, os cólquicos e galantos (figura 1) devido à disponibilidade em luz e água entre as árvores caducas. Com a primavera e as árvores vestidas de folhas, estes bolbos entram em estado de multiplicação seguindo-se a dormência quando as temperaturas são mais elevadas.

Figura 1. Exemplares de campânulas-azuis (1), os cólquicos (2) e galantos (3).

Os bolbos na sua generalidade estão adaptados à seca de verão o que nos possibilita a sua renovação no local onde floresceram anteriormente. Quando surgem as primeiras chuvas estes deixam o estado de dormência e iniciam a sua atividade no outono.

Um Inverno florido

Com o aproximar da primavera florescem bolbos de cores amarelo-claro a branco com os frésias(4), acónitos (5), galantos (3) ou narcisos(6). Em tons de azul temos os lírios, jacintos, muscari. Quanto às tulipas estas podem ser de várias cores e as suas pétalas de vários formatos: dobradas, franjadas ou singelas.

Figura 2. Exemplares de frésias (4), acónitos (5), galantos (3) ou narcisos (6)

Figura 3. Exemplares de lírios (8), jacintos (9), muscari (10) e tulipas(7)

Como plantar?

Nem todos os bolbos tem o formado arredondado como uma cebola, os lírios (8) e as dálias (11) são formadas por rizomas e tubérculos, respetivamente.
Apesarem de serem fáceis de cultivar o sucesso para um tapete florido em pleno inverno está correlacionado com a profundidade de plantação do bolbo: a maioria dos bolbos devem ser plantados a uma profundidade de 2 a 3 vezes o diâmetro do bolbo, ou seja, a 15 cm para um bolbo de diâmetro de 5 cm.
Os bolbos que são compramos nas feiras ou em lojas, por norma adaptam-se às estações quentes e secas e preferem solos leves, com boa drenagem e sol direto. Mas apodrecem em solos frios ou com uma pobre drenagem para isso é melhor cultivar em vasos ou canteiros. Ou então junto ao bolbo juntar um pouco de cascalho para que os solo não seja tão pesado.
Não é boa prática plantar bolbos muito próximos uns dos outros, o ideal será deixam um palmo entre estes. Pode também plantar os bolbos escamosos como os lírios (8) de lado para não acumularem humidade. Opte sempre por comprar bolbos no período de dormência, ou seja no fim do verão início de outono para florirem no inverno. Escolha sempre os mais bolbos maiores, firmes, carnudos e sem manchas.
Já os que nascem espontaneamente preferem solos húmidos com boa drenagem.

Tapetes coloridos e perfumados em pleno inverno

Cuidados a ter

Ter atenção à adubação para bolbos e à rega: se o inverno for pouco chuvoso necessita de uma rega mais frequente, visto que, pode surgir pontas secas. Se o inverno for muito frio com geadas o ideal é fazer um mulching no canteiro, ou seja, colocar um pouco de palha para criar um microclima mais agradável para as folhas e assim não serem queimadas durante a noite.
Para que a multiplicação seja bem sucedida deixe secar completamente a planta após a flor muchar. Faça esta prática durante 3 a 4 anos e no final desse tempo divida os bolbos. Com excepção das tulipas que devem ser removidas todos os anos e guardadas num saco seco para depois do fim da primavera para depois serem plantada no outono. Já as dálias(11), gladíolos (12) e as begónia (13) devem serem removidas e auradas durante o Inverno.

Figura 4. Exemplares de dálias (11), gladíolos (12) e as begónia (13)

Pragas e Doenças

Os bolbos não são hospedeiro de doenças e pragas com da excepção da ferrugem no Gladíolos (figura 5) e os fungos patogénicos de solo.

Figura 5. Sinais de Uromyces transversalis (Ferrugem) em gladíolos

Referências

(1) http://www.plantasonya.com.br/flores-e-folhagens/como-cuidar-da-campanula.html
(2) https://botanyphoto.botanicalgarden.ubc.ca/2017/11/colchicum-autumnale/
(3) https://www.portaldojardim.com/pdj/2016/03/23/bolbos-de-inverno-e-primavera/
(4) https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-796460271-15-sementes-de-flores-fresias-sortidas-para-mudas-_JM
(5) https://www.elblogdelatabla.com/2019/02/alfombras-flores-amarillas-eranthis-hyemalis-aconito-invierno.html
(6) https://www.lolaflora.es/blog/10-razones-para-amar-los-narcisos/
(7)http://www.mundohusqvarna.com.br/assunto/agosto-e-epoca-de-tulipas/
(8)https://www.floreswiki.com/imagens-lirios-no-campo-jpg
(9) https://jardineriaplantasyflores.com/fichas/hyacinthus-o-jacinto-ficha-completa/
(10) http://www.plantasonya.com.br/bulbosas/caracteristicas-e-cultivo-do-jacinto-uva-muscari-armeniacum.html
(11) https://www.coisasdaterra.com/as-flores/a-dalia/
(12)https://www.tocadoverde.com.br/bulbos-de-flores-palma-de-santa-rita-gladiolo-pink-lady.html
(13)http://plantaseflor.blogspot.com/2013/06/begonia-de-flor-ou-de-jardim.html
(14) Barter, G. et. al, , 2005, Aprender a Jardinar – Um introdução completa à jardinagem, Dorling Kindersley – Civilização, editores, lda.
(15) https://www.agrolink.com.br/problemas/ferrugem_1544.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *