Guia das Plantas – Como cuidar de plantas de interior

As plantas como os restantes seres vivos necessitam de cuidados para sobreviver no ambiente onde estão. Cuidar de plantas é uma tarefa bastante relaxante e educativa quando se tem miúdos por perto. Mas se os seus cuidados não se refletirem não vale desistir à primeira planta morta (até porque não será a primeira pessoa nem a última a matar plantas).

A rega, locais de meia sombra, adubação e poda têm a sua influência no tratamento de plantas. Se não tem tanta experiência com plantas de interior ou se já está a um passo de desistir daquela planta que está um pouco débil então veja esta lista com dicas úteis para cuidar de plantas de interior:

Escolha do local

Todas as plantas têm um local de eleição ou seja, um local onde se assemelham com o seu habitat natural. Neste local da sua casa ou jardim deve saber (mais ou menos) o número de horas de sol, temperatura e humidade.

Quando falamos em luz dividimos as plantas em 3 categorias: Sol pleno, Meia sombra e Sombra. Para além disso, temperatura e humidade são 2 fatores que influência diretamente na adaptação da planta ao novo espaço, por isso, e não se vai arrepender em ter um simples termómetro digital com temperatura e humidade.

Em todos os espaços da nossa casa podemos ter plantas desde que haja luz, temperatura e humidade:

O hall de entrada é mais indicado para plantas pequenas como o caso das orquídeas phalaenopsis e que não sofram com correntes de ar como o caso dos fetos ou sambambaias;

Se a sala for grande pode colocar uma planta num canto em destaque (areca) ou então plantas num porte mais pequeno para decorar o móvel. Neste local o truque é colocar a planta pelo menos a 1 metro de distância da janela virada a norte, este ou oeste.

Na cozinha e casa de banho como são locais mais húmidos o ideal seria optar por clorófitos, jiboias ou tilandsia.

No quarto pode ter uma planta de pequeno porte como um bonsai de interior.

No escritório por norma é um local com bastante luz indireta ou artificial e as plantas desta lista são as mais indicadas.

Não deve colocar as plantas próximas de alguns equipamentos elétricos principalmente de ar condicionados, desumidificadores porque estes equipamentos retiram humidade do ar e maior parte da plantas beneficia desta humidade.

Não coloque as plantas longe da sua vista ou do alcance do seu olhar. Apesar de serem excelentes elementos decorativos as plantas não servem para ocupar um espaço que quer ocultar.

Escolha um local de destaque para a planta

Rega

Regue as plantas somente quando o substrato estiver seco. As regas incorretas por excesso ou por deficit são as principais razões pela morte das plantas. A nossa tendência natural é que a planta necessita de água todos os dias como nós e os animais e por isso que todos os dias estamos a colocar um pouco de água.

Para não errar deve colocar o dedo no substrato e se esta estiver sujo significa que o substrato está húmido e não necessita de água.

Plantas em vasos grandes retêm mais água que plantas em vasos mais pequenos, por isso devem ser regadas menos vezes.

Regar por baixo: Se regar plantas de folha peludas ou a cobrir o substrato como o caso da violeta deve molhar somente o substrato e evitar regar por cima (molhar as folhas) ou então regar ao prato.

Regar por cima: Com um regador de bico fino regue o substrato para que a água se deposite de forma uniforme.

Por mergulho: Esta técnica é mais indicada para as orquídeas de interior onde mergulhamos o substrato durante 30 minutos.

Em todos os casos deve drenar bem a água em excesso.

Coloque um prato na base da planta para escoar a água em excesso

Vasos decorativo (cachepô) vs vasos dreno

As plantas que compramos são envasadas num vaso de plástico com uns furos na base e por norma são menos atrativos.  Os cachepôs são esteticamente mais bonitos, mas não têm furos de drenagem e a nossa tendência é colocar a nossa planta diretamente dentro deles. Se a água não for escorrida por cima acaba mesmo por matar a nossa planta.

O truque é: Sempre colocar um vaso decorativo (cachepô) por fora para quando regarmos a plantas basta retirar ela dentro do cachepô e escorar a água em excesso.

Use um cachepô para esconder o vaso de drenagem

Planta nova = vaso novo??

Nem sempre é assim. Antes de transplantar para outro vaso a planta deve ambientar-se ao local onde está. Esta planta como passou meses a ser cuidada de uma determinada forma (viveiros ou hortos) ainda não está adaptada ao seu novo habitat e por isso necessita de algum tempo. Transplante a planta para um vaso maior ou mais bonito quando esta já tiver um pouco maior (com mais folhas). Se a planta estiver em floração não transplante para um vaso novo. Em época de floração mexer nas raízes traz atrasos no seu desenvolvimento.

Se a planta vem num vaso menos bonito mude para um cachepô do mesmo tamanho. Quando as raízes estiverem a sair do vaso então é a altura ideal para a transplantar para um vaso maior.

Vasos de terracota são mais porosos e por isso retêm mais água que os vasos de plástico ou de vidro. Se a planta for exigente em água como o caso das peperomia então opte por um vaso de terracota. Se plantar um cato ou uma suculenta (menos exigentes em água) o ideal é um vaso de plástico. As orquídeas phalaenopsis devem ser envasadas em vasos de vidro ou plástico transparente porque as suas raízes também fazem fotossíntese.

Limpe as folhas

Ciclo de vida

Todas as plantas passam por processos de crescimento (em altura e tamanho) e desenvolvimento (floração, frutificação, queda das folhas, etc.) durante o seu ciclo de vida. As plantas de interior são mais deliciadas que as de exterior no sentido que não toleram tantas mudanças de temperatura e humidade e por isso devem ser resguardadas. Uma planta de interior colocada no exterior, devido a sua natureza, terá mais dificuldade em adaptar-se, vai demorar mais tempo a crescer e desenvolver, acabando mesmo por morrer ou por ficar um pouco mais feia.

Adubação

Se é “jardineiro de primeira viagem, “ou seja, não tem muita experiência com plantas o mais indicado é comprar plantas com etiquetas informativas. Esta etiquetas indicam a melhor altura do ano para adubar a sua planta, quando esta irá se alimentar em pleno. As plantas que dão flor necessitam de ser adubadas 2 vezes por mês na primavera – verão e uma vez por mês no inverno. O inverno é a altura do ano em que o seu desenvolvimento é mais lento e por isso não necessita de tantos nutrientes. Em contrapartida a primavera – verão, onde ocorre a floração, a planta necessita de ser bem alimentada.

Opte por um adubo de libertação lenta, normalmente são em barras ou granulado no Inverno e um adubo líquido na época mais quente. Respeite sempre a dose recomendada no rótulo. Se adubar em excesso a planta não irá crescer mais rápido, mas sim atrofia por fito toxidade.

Poda

A poda é necessária para controlar o crescimento e desenvolvimento saudável da planta. Se comprou uma planta nova ou se a planta tem algumas folhas ou ramos secos então deve só retirar esses. As plantas têm 2 épocas ideais de poda: depois da floração ao que chamamos de poda de limpeza ou formação onde removemos todos os elementos (folhas ou flores) secos. Esta poda deve ser um pouco mais intensa já que irá promover novos rebentos.  Podar antes da floração serve somente para corrigir eventuais ramos que tomaram uma direção errada e aí chamamos de poda de correção. Nas plantas de interior deve sempre ter cuidado com o número de podas senão corre o risco de a planta sem folhas para promover a fotossíntese.

Substrato

Se comprou uma nova planta espere pelo fim da floração para transplantar e opte sempre pelo substrato mais indicado à sua natureza. Há no mercado substratos mais indicados para o género de plantas: orquídeas de interior e exterior, catos e suculentas, plantas que preferem solos mais ácidos, para hortícolas, etc. Não use terra do jardim para plantas de interior já que esta aloja muitas sementes de infetantes e necessitaria de um tratamento prévio. Para além disso, estes substratos são feitos para suprimir as necessidades nutricionais da planta.

Limpeza

Não é só nos móveis que vai ter de limpar o pó, também vais ter de limpar nas folhas das plantas. Plantas de folhagem larga deve passar um pano húmido em todas as folhas e nas plantas de folha peluda deve passar um pincel para remover o pó que se deposita.

Pragas e doenças

Não é só as plantas de exterior que são atacadas as de interior também são e, quando isto acontece é muito desagradável. As plantas podem ficar doentes quando não cuidados da melhor maneira e por isso o ideal é manter sempre a sua vigia: passe um pano húmido das folhas para eliminar eventuais piolhos ou cochonilhas ou aplique uma solução caseira,  não regue demais se as folhas estiverem um pó branco e tenta atenção aos adornos como os suportes ou pratos na base.

Folha de antúrio queimada pelo sol

Escolha a planta em função do seu estilo de vida

Se tem um estilo de vida mais atarefado o ideal é tem poucas plantas sempre da mesma espécie ou grupo, já que em termos de cuidados são semelhantes e para além não se perder.

Aproveite a floração

Crie uma rotina de cuidados das suas plantas, mas desfrute sempre a sua companhia.

Se gostou deste artigo e quer ver mais?

Então seguia-nos em FacebookInstagram e subscreva o canal no Youtube.

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Guardar o meu nome, email e site neste navegador para a próxima vez que eu comentar.
Para mais informações consultar a politica de privacidade.