Guia das Plantas: “Compostagem caseira” para quem vive num apartamento

Cá em casa todo material vegetal desde as folhas caídas, frutos picados ou podres, as aparas de poda, os restos da relva vão parar ao compostor que está no jardim perto do diospireiro. Sempre que há uma nova árvore de fruto ou uma planta ornamental a ser plantada, na cova coloco um pouco desse composto para nutrir o torrão recém-chegado. Ou até mesmo nas sementeiras em tabuleiros ou nos regos da horta, colocou um pouco do composto misturado com o solo.  Para além disso, os canteiros e floreiras que por serem mais pequenas (menos solo em largura e profundidade) as plantas aí instaladas necessitam de um reforço extra na nutrição.

Mas para quem não tem um espaço para instalar um compostor, por exemplo para quem vive num apartamento pode fazer uma transformação do material orgânico que tem lá em casa. Já que o conceito base da compostagem é mesmo esse: transformar material verde ou castanho num composto que irá fertilizar/ adubar o solo das plantas.

 

Como é que vou fazer compostagem se não tenho espaço para o compostor?

 

Primeiro passo é pensarmos que há várias refeições que preparamos que dão origem a “material orgânico” que podemos transformar em matéria orgânica.  Todos fazemos sopa de legumes e para quem vive num apartamento essas cascas e talos vão parar ao lixo doméstico.

Desta forma, podemos aproveitar as sobras das sopas (cascas, talos, folhas ou até as raízes), cortando em pedaços mais pequenos e com água quente fazer uma “infusão“. A água quente promove uma maior libertação dos compostos presentes nos “legumes” e amolece todo o material tornando-se mais fácil a sua transformação.

De seguida, com uma varinha mágica ou até mesmo com liquidificador passamos tudo a líquido ou papa, dependo da quantidade de água quente.

Por fim, é só guardar num garrafão de água (por exemplo de 6L) e esperar que o preparado fique a temperatura ambiente.

Sempre que vamos regar as nossas plantas em vez de usar a habitual água, regamos com o nosso “composto”.

Veja também: Chorume de urtigas, um método para enriquecer o solo com matéria orgânica  

Este material verde é rico em nutrientes e minerais essenciais para manter as nossas plantas saudáveis e vistosas, e quem fala nas sobras das sopas também pode ser as cascas de fruta, cascas de ovo, borras de café, etc. Ou seja, todo o material orgânico (e não cozinhado) que eventual iria parar ao lixo doméstico pode ser utilizado para criar um composto líquido.

As cascas das frutas também podem ser usadas para elaborar o “composto”

Mas ao fazer este composto líquido já não preciso de fazer compostagem caseira?

É, claro que, este composto é diferente do composto resultante da compostagem caseira, onde o compostor está assente no solo e todos os microrganismos participam na sua elaboração: não há as trocas gasosas presentes, as reações bioquímicas, nem tanto pouco a ação animal como as minhocas e os insetos.

Mas para quem tem uma varanda “arborizada” ou a própria casa com plantas de interior pode de uma forma simples, sustentável e ecológica aproveitar para diminuir o seu lixo doméstico orgânico que iria ter o mesmo destino que o lixo doméstico.

Para finalizar, se o cheiro deste composto for muito intenso sempre pode dilui-lo ou colocar mais água no preparado inicial.

 

Se gostou deste artigo e quer ver mais?

Então seguia-nos em FacebookInstagram e subscreva o canal no Youtube.

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Guardar o meu nome, email e site neste navegador para a próxima vez que eu comentar.
Para mais informações consultar a politica de privacidade.

O que plantar / semear no mês de Novembro – Tarefas de jardim e horta

Ver Artigo